A Psiquiatria é uma especialidade médica que lida com o diagnóstico, tratamento e reabilitação das diferentes formas de perturbações mentais, sejam elas de natureza orgânica ou funcional, com manifestações psicológicas e comportamentais. São alguns exemplos: a depressão, a doença bipolar, a esquizofrenia, as toxicodependências, a demência e as perturbações ansiosas. Os médicos especializados em psiquiatria são designados por psiquiatras.

Para uma proposta terapêutica adequada é necessária uma avaliação completa do problema clínico apresentado, numa perspectiva biológica, psicológica e sociocultural. A avaliação psiquiátrica envolve o exame do estado mental e a história clínica. Testes psicológicos, neurológicos, neuropsicológicos e exames de imagem podem ser utilizados como auxiliares na avaliação, assim como exames físicos e laboratoriais.

Uma doença ou problema psicopatológico pode ser tratado de várias formas, normalmente em conjunto: medicamentos (psicofármacos), psicoterapia, métodos físicos, etc.

A psicoterapia, do grego psykhé (mente) e therapeuein (curar), de que existem vários modelos teóricos, com métodos, técnicas e intervenções diferentes, faz parte do arsenal terapêutico do psiquiatra, embora seja habitualmente praticada por outros profissionais de saúde mental: os psicólogos clínicos. A finalidade da intervenção psicoterapêutica pode ser bastante diversa, desde avaliar os motivos da consulta, que variam desde pequenas dificuldades do dia-a-dia até grandes problemas psicopatológicos. Avaliar e melhorar o desenvolvimento dos padrões de funcionamento psicológico do indivíduo e dos seus sistemas psíquicos (saúde orgânica, saúde mental, familiar, social, sexual, intelectual e profissional) e em última análise, restabelecer ou melhorar a qualidade de vida global do paciente.

Muitas vezes uma abordagem terapêutica de um dado problema clínico exige o trabalho em equipa de vários técnicos da área da saúde mental. Os serviços psiquiátricos podem fornecer atendimento em consulta externa ou em internamento. Em casos de sofrimento grave do paciente e risco para si e para os outros que o cercam, a indicação de internamento pode ocorrer de forma involuntária e compulsiva ao abrigo da lei de saúde mental.

A palavra Psiquiatria deriva do Grego antigo e quer dizer "arte de curar a alma". A prática da Psiquiatria, enquanto tal, iniciou-se no século V AC., e os primeiros hospitais para doentes mentais foram criados na Idade Média. Durante o século XVIII a Psiquiatria evoluiu como campo médico e as instituições para doentes mentais passaram a utilizar tratamentos mais elaborados e humanos. No fim do século XIX e durante o século XX houve um grande progresso no entendimento das doenças mentais, com a introdução das classificações dos transtornos psiquiátricos, estudos epidemiológicos, a investigação dos mecanismos biológicos e psicológicos das doenças mentais e a pesquisa e desenvolvimento de novas formas de tratamento e de novos medicamentos psiquiátricos. A investigação científica continua a procurar explicações para a origem, classificação e tratamento dos transtornos mentais.

Os transtornos mentais são descritos pelas suas características patológicas, ou psicopatologia, que constitui uma disciplina descritiva e explicativa destes fenómenos. Muitas doenças psiquiátricas têm tratamento, mas muitas ainda não têm cura. Enquanto algumas têm uma evolução relativamente breve e poucos sintomas, outras são situações mais ou menos crónicas que apresentam impactos importantes na qualidade de vida do paciente, necessitando de tratamento a longo prazo ou eventualmente por toda a vida.

As nossas especialidades

  • Psiquiatria 
  • Psicoterapia cognitivo-comportamental

 

Clínica de Montes Claros | Estádio Cidade de Coimbra | Rua Dom Manuel I, 8 | 3030-320 COIMBRA

Tel: 239 826 726 | Email: jrelvas@netcabo.pthttp://drjoaorelvas.pt